DÚVIDAS FREQUENTES​

SOBRE O PROGRAMA

R: O programa Casa Verde Amarela é o novo programa habitacional do governo federal. O programa substitui o Programa Minha Casa Minha Vida e traz novidades e melhorias. Com as taxas de juros mais baixas para todo Brasil , o programa Casa Verde e Amarela pretende ajudar mais de 1 milhão de brasileiros a realizarem o sonho de comprarem um apartamento financiado.

R: Sim, todo financiamento habitacional contratado a partir de 26 de agosto de 2020, com recursos do FGTS e renda familiar bruta de até R$ 7 mil reais, integra o Programa Casa Verde e Amarela, conforme Medida Provisória n° 996/2020 e você pode adquirir um imóvel Ribeira.

R: O programa do governo Casa Verde e Amarela é uma transformação do Minha Casa Minha Vida. Ou seja, ele terá melhorias, mas também manterá algumas regulamentações como a divisão do programa por faixas de renda.

R: Durante o processo de aquisição do imóvel até a assinatura do contrato junto a Instituição Financeira, você não pode comprometer mais do que 70% da sua renda com dívidas, ou seja, comprometer sua capacidade de pagamento, renda incompatível, restrições de Crédito, complicações na Receita Federal ou INSS, etc.

As taxas de juros variam de acordo com as faixas de renda e por região do imóvel. Confira abaixo:

No Sul, Sudeste e Centro-Oeste:

  • Faixa 1,5 – Entre 4,5% e 5,25% a.a.
  • Faixa 2 – Entre 5% e 7% a.a.
  • Faixa 3 – Entre 7,66% e 8,16% a.a.

R: Tem direito ao subsídio da Caixa Econômica no âmbito do Casa Verde e Amarela quem tiver renda familiar inferior a R$ 4 mil reais mensais. O percentual de subsídio varia conforme a renda, e o banco realiza uma análise de crédito antes de conceder o beneficio ao cliente.

R: Clientes com renda familiar bruta mensal até R$ 7 mil reais; Clientes que não possuem imóvel no mesmo município onde moram ou trabalham; Clientes que não possuem financiamento habitacional ativo; Clientes que trabalhem ou morem no mesmo município do empreendimento que estiverem comprando

DÚVIDAS SOBRE FINANCIAMENTO

R: Inicialmente RG, CPF, Comprovante de estado civil, Comprovante de endereço, IR, Carteira de trabalho, Comprovante de Renda, etc.

R: Sim, é possível utilizar o FGTS , no entanto algumas normas condições precisam ser atendidas: Precisa ter trabalhado por pelo menos 3 anos sob regime de FGTS, não pode ter outro financiamento ativo no Sistema Financeiro de Habitação (SFH), deve morar ou trabalhar na cidade em que deseja obter a residência, não pode ter propriedade em seu nome na cidade onde pretende comprar o imóvel, não pode escolher um imóvel cujo valor ultrapasse o limite estabelecido conforme cada estado.

R: Não, os bancos financiam em média 80% do valor do imóvel, variando de acordo com as condições do cliente.

R: Sim, no caso apresentam através de Extratos Bancários, Declaração de imposto de renda, Recibos emitidos (com as guias de recolhimentos de impostos),Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos (Decore)

R: O prazo máximo é de 35 anos, dependendo da Instituição Financeira.

R: O pagamento das parcelas de financiamento junto a CEF se inicia após a assinatura do contrato de financiamento.

R: Ao realizamos a contratação do PJ, a Ribeira encaminhará um comunicado a todos os clientes informando a data prevista para assinatura do contrato de financiamento junto a CEF. Caso o cliente opte por fazer em outro banco, o processo é assinado de acordo com o prazo da instituição financeira.

R: A taxa de evolução de obra, às vezes também chamada de juros de obra, é cobrada nos contratos de financiamento de imóveis adquiridos ainda em construção. Ela é composta por juros e atualização monetária, que são pagos à Caixa pelo comprador do imóvel.

DÚVIDAS FINANCEIRAS

R: Você pode consultar através do Portal do Cliente ou através Central de Relacionamento no telefone: (031) 2533-0555 ou e-mail: Contato@totalbraz.com.br.

R: Acesse através do link: https://ribeira-portal.sienge.com.br/authentication/signin, você se cadastra inserindo o CPF ou CNPJ do comprador.

R: Porque o pagamento da comissão é destinado apenas ao corretor, não havendo relação com o fluxo de pagamento para a incorporadora.

R: Você poderá entrar em contato através da Central de Relacionamento no telefone: (031) 2533-0555.

R: O INCC é o indice de correção utilizado pela construção civil para a correção das parcelas durante o período de obra, e após o término da obra é utilizado IGP-M.

R: Verificar a data da entrega do imóvel no seu contrato de compra e venda.

R: Você poderá entrar em contato com a Ribeira para saber como proceder. Ao quitar o imóvel antes da emissão do Auto de Conclusão de Obra (Habite-se), você não ficará sujeito ao pagamento de juros.

R: Sim, haverá encargos de juros e multa, conforme contrato.

R: Caso o beneficio se aplique ao seu contrato, a parcela de adimplência só ocorre se o cliente realizar o pagamento das parcelas em dia, sem qualquer atraso durante todo o fluxo de pagamento junto a Construtora e junto ao Banco Financiador, acrescidos de correção monetária incidentes durante o processo.

R: Você receberá o IR através do e-mail, contato@totalbraz.com.br.

R: Conforme termos do § 13º, do art. 67-A, da Lei 4.591/64, com a alteração promovida pela Lei 13.786/2018, o cliente tem direito de restituir 50% do valor pago para a incoporadora corrigido, após a emissão do habite-se ou a venda da unidade, o que ocorrer primeiro. Valores referentes a comissão não contemplam esta devolução.

R: No ato da venda, você recebeu um contrato que menciona os dados do corretor com telefone e e-mail, e valores acordados para comissão.

R: A partir da instalação da assembléia do condomínio, no qual será comunicada ao cliente no ato da assembléia.

R: O IPTU fica sob responsabilidade do cliente a partir do 1° dia do mês subsequente a expedição da certidão de conclusão da obra (habite-se) da unidade autônoma.